Conheça 4 movimentos da Arte Contemporânea

Categorias Arquitetura

Olá Universo!

Hoje nós trouxemos para vocês mais um post voltado para um público que gosta de arquitetura ou que estuda nessa área. Esse post foi feito com base num trabalho de pesquisa que fizemos na faculdade e o tema de hoje é Arte Contemporânea.

Abaixo você conhecerá melhor alguns estilos de arte contemporânea, como elas surgiram e quais as suas principais características, e no final você saberá identificá-los, além de conhecer alguns grandes artistas destes estilos.

POP ART

Este segmento da arte contemporânea se desenvolveu primeiramente nos Estados Unidos e na Inglaterra em meados de 1955. É utilizado para denominar a arte popular que estava sendo criada em publicidade, cartazes, revistas e na mídia impressa, no geral.

Era a volta a uma arte figurativa, em oposição ao expressionismo abstrato que dominava a cena estética desde o final da Segunda Guerra mundial.

A Pop Art se apoiava no consumo, nos quais se inspirava e muitas vezes produzia o aumento da vontade de consumir. Neste momento, muito do que era considerado brega virou moda, transformando o que era considerado vulgar em refinado.

Obras do artista Roy Lichtenstein. Girl in Mirror, Crying girl, Oh Jeff… I love you, too… But e M-Maybe.

Suas principais características são:

  • Linguagem figurativa e realista referindo-se aos costumes, ideias e aparências do mundo contemporâneo;
  • Temática extraída do meio ambiente urbano das grandes cidades.
  • Combinação da pintura com objetos reais integrados na composição da obra como flores de plástico, garrafas e outros.
  • Formas e figuras em escala natural e ampliada.
  • Preferência por referências ao status social, a fama, a violência e os desastres, a sensualidade e o erotismo.
  • Uso de materiais como tinta acrílica, poliéster e látex, produzindo cores puras.
  • Reprodução de objetos do cotidiano em tamanho consideravelmente grande, transformando o real em hiper-real.

OP ART

A Op-art (arte óptica) foi um movimento artístico que surgiu na década de 60 nos Estados Unidos e Europa simultaneamente. A primeira obra que se enquadra neste movimento foi “Zebra”, feita por Victor Vasarely nos anos 30. Composta por listras diagonais pretas, brancas e curvadas, causando a impressão de uma visão 3d.

As cores têm a finalidade de passar ilusões ópticas a quem observa. Visando atingir o dinamismo, os artistas usam tons vibrantes e círculos concêntricos, dando a ideia de movimento e interação entre os objetos e o fundo. São utilizadas cores que provocam grandes contrastes, além de diferentes níveis de iluminação, explorando a criação de formas virtuais.

Obras do artista Victor Vasarely. Vega-Nor, Borra III, Keple Gestalt e Vonal Stri.

INSTALAÇÕES

Da mesma forma que o op-art, o termo instalações foi criado na década de 60, referindo-se ao ambiente construído em espaços de galerias e museus. No mundo contemporâneo, sua força expressiva toma forma com as linguagens da Land Art, Minimal Art, Work in Progress e Intervenções Urbanas.

A Instalação é uma forma de arte que ocorre quando ambientes amplos são divididos/transformados em ambientes do tamanho de salas. Pintura, escultura e outros materiais são peças-chave para compor o local. O espectador participa ativamente da obra e, portanto, não se comporta somente como apreciador. E a mão do artista não está presente na obra como um item notável.

Instalação com sacolas plásticas em Roma. “Put Your Head Into Gallery” de Tezi Gabunia. Pool, The Alchemy of Blue de Lizzie Buckmaster Dove. Cloud de Caitlind Brown.

A Instalação permite uma grande possibilidade de suportes, já que em sua realização, pode integrar recursos como videoarte, caracterizando-se em uma videoinstalação.

Essencialmente, é a construção de uma verdade espacial em lugar e tempo determinado. É passageira, possui presença efêmera que se materializa de forma definitiva apenas na memória. O sentido de tempo, no caso da fruição estética da Instalação é o não-tempo, onde essa fruição se dá de forma imediata ao apreciar a obra in loco, mas permanece em sua fruição plena como recordação.

INTERFERÊNCIAS

É uma manifestação artística, geralmente realizada em grandes cidades. Consiste em criar uma interação com algo já existente no espaço público (como monumentos). São notadamente voltados para uma experiência estética que procura produzir novas maneiras de perceber o cenário urbano e criar relações afetivas com a cidade.

Runaway na orla de Santa Barbara. Red Ball Project de Kurt Perschke. Áqueda em Portugal. Interferência de Eduardo Srur.

A intervenção é sempre inusitada, realizada a céu aberto e por ter um caráter crítico, seja do ponto de vista ideológico, político ou social, referindo-se a aspectos da vida nos grandes centros urbanos. Uma poesia embaralhada numa estação de metrô, por exemplo, é um convite para que as pessoas parem sua maratona frenética e dediquem alguns minutos para decifrar aquelas palavras. Mas as intervenções urbanas também podem ter outros alvos, como a marginalização da arte, problemas sociais, ambientais e outros.

Não se esqueça nos seguir nas nossas redes sociais para não perder nenhuma novidade! Ah, você também pode deixar seu e-mail na caixa mágica aqui do lado, assim você receberá notificação quando a gente postar algo novo. Além de receber conteúdos exclusivos!

Nos ajude a chegar na nossa meta de 550 seguidores no Pinterest e 2200 no Insta, estamos quase lá!!!

Instagram: @universodeinspiracao

Facebook: @universodeinspiracao

Pinterest: @deinspiraçao

Textos de base para o pesquisa: POP ARTOP ARTINSTALAÇÕES e INTERFERÊNCIAS.

Gabriel Delpino
Olá! Me chamo Gabriel e tenho 18 anos. Gosto de decoração, tecnologia e de frases inspiradoras! Crio posts no intuito de compartilhar as minhas experiências e aprender lendo os textos alheios. Espero que gostem do que eu andei escrevendo por aqui. #dicadouniverso

Deixe uma resposta